Blog do Digão


Obsolescências
26/09/2009, 5:56 pm
Filed under: igreja, Pastorado de verdade

Tdkc60cassetteDia desses, enquanto minha esposa estava na faculdade, fiquei brincando, em casa, com minhas filhas, de 7 e 4 anos. De repente, a Vitória, de 7, aparece com uma fita cassete na mão. A perguntinha inocente dela me deu um ataque de riso:

– Pai, o que é isso aqui?

A Vitória nunca tinha visto uma simples fita cassete na vida dela! Também, já nasceu no tempo do império do mp3… Quando ela tentou, de tudo quanto é jeito, ouvir o que tinha na fita, inclusive tentando colocar a fita no aparelho de DVD, rachei de rir. Mas eis que ela acha um walkman da minha esposa, com auto-falante externo (vixi, como é antiiigo!), e que ainda funcionava. Quando começaram a ouvir o que tinha na fita, dançaram e pularam, e eu fiquei pensativo.

É, estou ficando obsoleto. Minhas queridas fitas cassete, hoje inúteis por causa do avanço tecnológico, viraram peça de museu, objeto de curiosidade de criança. E olha que elas nem viram ainda um disco de vinil, verdadeiro fóssil do século XX!

Mas o que mais me chamou a atenção foi a festa que minhas filhas fizeram com as fitas e o walkman. O som era ruim, com chiados, baixo, as fitas já desgastadas com o tempo, mas nada disso importava pra elas naquele momento. Importava era a descoberta de algo novo, que tinha utilidade, e que elas fizeram funcionar.

Junto com minhas fitas cassete, tem um monte de coisa obsoleta hoje em dia. A ética pastoral, por exemplo. É um tal de pastor que puxa tapete de pastor, pastor “furando o olho” do colega, arrancando a suada grana dos membros da igreja, enganando, seduzindo (sexualmente inclusive), que sinto que, no Brasil, “ética” e “pastoral” são duas palavras que estão se tornando excludentes entre si.

Outra coisa obsoleta é o amor e o respeito devido aos pastores – “pastores” no sentido estrito do termo, não esses mercenários de olho na sua oferta de 900 reais que abundam por aí. Ameaças, explícitas ou veladas; levantes “revolucionários” tentando tomar o “pudê”; donos, sócios-proprietários ou cotistas de igrejas; relativismo moral por parte das denominações, onde só tem valor aqueles falhos na ética pessoal. Enfim, uma infinidade de obsolescências.

Há ainda outras coisas obsoletas, como o temor devido a Deus, o conhecimento da Bíblia, a vida de oração, a simplicidade prática, o bom testemunho dos de fora. Tanta coisa parecida com as antigas fitas cassete…
Mas, assim como a descoberta das fitas foi motivo de alegria para minhas filhas, a redescoberta dessas coisas ultrapassadas tem a capacidade de renovar nossa alegria. E aí, vamos ouvir uma fitinha cassete?

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

E também ouvir um vinil. Saudade de coisas boas e velhas!

Coisas boas só ficam velhas ao surgirem coisas superiores. O evangelho continua velho e novo mas nada surgiu que possa ser digno de deixá-lo obsoleto e menos maravilhoso.

Lindo.

Comentar por Avelar Junior




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: